terça-feira, 2 de dezembro de 2014


terça-feira, 10 de julho de 2012

Com pouco mais de um ano no mercado, a Cozinha do Sítio do Pica Pau Moderno, tem se destacado no cenário gastronômico camocinense, com um cardápio variado, onde você pode encontrar da tripinha de porco, massas e até muqueca de arraia, em um ambiente bem modesto e acolhedor, com um som ambiente de primeiríssima qualidade, hoje conta com um baita telão de 42" polegadas, exibindo clipes musicais de gosto refinado.

Matéria exibida no blog Camocim Classificados em 10/07/2012

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

PRATOS TÍPICOS CEARENSES

O Ceará dispõe de restaurantes de nível internacional. O forte de sua culinária está nas raízes sertanejas de sua gente. Os principais pratos da nossa gastronomia são:



Tapioca
Espécie de panqueca feita com goma de mandioca. Durante muito tempo foi consumida sozinha ou acompanhado o peixe frito das comunidades praianas. Atualmente, virou uma iguaria que pode ser recheada ou acompanhada com os mais diversos produtos: carne-de-sol, queijo de coalho, coco ralado, doces regionais e até camarão.



Carne-de-sol
Carne bovina salgada, de sabor forte e curtida durante alguns dias, o que lhe confere aspecto mais rústico e mais consistentes Normalmente é acompanhada por paçoca, baião de dois, manteiga da terra (manteiga de garrafa) e macaxeira frita.


Paçoca
Farofa feita á base de farinha de mandioca, carne-de-sol picada no pilão e cebola roxa.


Peixada
Peixe de água salgada cozida em bastante caldo com legumes e ovos. Acompanha pirão feito com farinha de mandioca e o caldo da peixada.


Baião de dois
Tradicional prato á base de arroz e feijão, cozidos juntos e temperados com verduras e cheiro verde. Atualmente outros ingredientes podem ser acrescentados para realçar o sabor, como: lingüiça, charque, queijo de coalho e nata de leite salgada.



www.oort.com.br

Cozinha cearense é um dos maiores atrativos do estado

Da buchada do sertão ao camarão ao alho e óleo litorâneo, cardápio é variado e agrada diferentes paladares
Camilla Veras
por Redação


A culinária do Ceará conta muito da história do seu povo – como acontece, aliás, com a gastronomia de qualquer lugar. Os frutos do mar são a principal marca da gastronomia das cidades costeiras. Mas os temperos vão além da deliciosa e tradicional peixada, que pode ser encontrada em vários restaurantes especializados na avenida Beira Mar.



Crédito: Setur Ceará
Os crustáceos são vedetes incontestáveis do cardápio. O caranguejo é palavra de ordem das barracas de praia de Fortaleza e, mesmo que dêem trabalho, vale o desafio de experimentá-los. A iguaria é tradicional e lota as barracas da praia do Futuro nas noites de quinta-feira.
Outra opção é degustar o famoso camarão ao alho e óleo no mercado dos peixes do Mucuripe, em uma das pontas da Beira-Mar. No final da tarde, muitas das barracas improvisam algumas mesas no calçadão e servem o camarão fresco a preços convidativos.
Grande parte dos pratos, principalmente aqueles típicos do sertão, é elaborada como uma forma de driblar a falta de recursos e aproveitar ao máximo as matérias-primas existentes.


Crédito: Setur Ceará
Das receitas que vieram do interior do estado, as que fazem mais sucesso são a panelada, a buchada de carneiro e, claro, o baião-de-dois. A primeira é um cozido de vísceras e mocotó de boi; a buchada, por sua vez, reúne miúdos do carneiro em saquinhos feitos com o próprio bucho do animal.
Ambos podem ser encontrados no mercado São Sebastião, local em que os cearenses fãs dos pratos têm certeza de que vão achá-los, mesmo pouco depois de o sol raiar.
O baião-de-dois é mais aconselhado para os turistas de estômago mais sensível. O legítimo é feito da mistura de arroz, feijão, manteiga da terra, queijo coalho e nata. Uma verdadeira delícia – disponível em qualquer restaurante regional da capital, Fortaleza.
Outras maravilhas sertanejas que merecem ganhar a mesa são a carne de sol e a macaxeira (mandioca ou aipim, pra quem não vive no Nordeste). Ambas são ingredientes da paçoca, que tem origem indígena e difere completamente da iguaria de amendoim muito consumida no sudeste do país – mas é também muito saborosa.


Crédito: Setur Ceará
Além da deliciosa comida regional, em Fortaleza também não faltam restaurantes especializados na chamada alta gastronomia. A variedade é responsável por uma gostosa confusão – vai ser difícil escolher entre as sofisticadas releituras dos pratos nordestinos e os espaços de cozinha internacional.
Entre uma refeição e outra, não faltam opções para uma boa “merenda”. O Centro das Tapioqueiras, por exemplo, oferece o quitute mais famoso do Nordeste doce ou salgado. Da cana-de-açúcar, por sua vez, são feitas a rapadura e a cachaça, ambas facilmente encontráveis no mercado Municipal de Fortaleza.
Esta última, inclusive, ganhou um museu em Maranguape, a 30 quilômetros da capital cearense, cuja atração principal é um tonel gigante cheinho de aguardente.

grupoviagem.uol.com.br

terça-feira, 31 de maio de 2011

Cuscuz de Frango do Sítio

Ingredientes

01 Peito de frango desfiado
01 Cebola picada
01 Pimentão pequeno picado
01 Caixa ou lata de molho de tomate
02 vezes a mesma medida de água
01 Lata de ervilha
01 Lata de milho verde
03 Xícaras de farinha de milho em flocos
02 Ovos cozidos
01 Tablete de caldo de galinha
03 Colheres de óleo ou azeite
01 Tomate cortados em rodelas
½ xícara de azeitonas (a gosto)
Cheiro verde a gosto
Sal e temperos (alho, pimenta, etc.) a gosto

Modo de fazer

Refogue a cebola, o pimentão e o alho no azeite (óleo), quando a cebola ficar transparente acrescente o milho, o frango, as azeitonas, parte da ervilha, o molho de tomate e a água. Coloque o caldo de galinha e verifique o sal. Deixe ferver. Acrescente a farinha de milho e cozinhe-a até começar a largar do fundo da panela, ao final junte o cheiro verde.
Unte uma forma redonda e decore o fundo e as laterais com as rodelas de tomate, ervilha e ovos. Coloque a massa na forma, deixe esfriar e desenforme.
Agora é só aproveitar.

Dicas: para o frango desfiado ficar mais gostoso refogue acrescentando o caldo em que foi cozido.